Vítimas relatam ação de mulheres presas por dopar e roubar idosos: ‘Apaguei e me jogaram do carro’

Jovem de 24 anos e a tia, de 44, confessaram que davam medicamentos com refrigerante aos idosos na região de Itapetininga (SP). Uma vítima foi encontrada morta em canavial; laudo aponta traumatismo craniano.

Dois idosos relataram ao G1 o sufoco depois que foram abordados, dopados e deixados caídos na rua por duas mulheres presas suspeitas de roubar ao menos 15 vítimas na região de Itapetininga (SP).

A dupla, de 24 e 44 anos, foi presa no dia 13 de agosto suspeita de drogar e matar um idoso de Cesário Lange, que foi encontrada em um canavial. Uma câmera de segurança registrou quando Erineu da Rosa, de 78 anos, entrou no carro das mulheres.

O aposentado Darci Paulino de Oliveira, de 72 anos, contou que foi alvo da dupla na tarde do dia 18 de junho deste ano. A vítima mora em um sítio em Itapetininga e no dia do crime foi até o Centro para pagar contas.

Na volta para casa, as duas mulheres o abordaram no ponto de ônibus. Uma delas se apresentou como enfermeira e ofereceu carona até a região que seria perto da casa dele.

“Ela disse que ia até Varginha e que me levava. Entrei no carro. A motorista saiu e entrou na farmácia. Quando chegou no posto para abastecer, ela comprou um refrigerante. Tomei e fui apagando. Escureceu a vista. Fiquei sem comer, sem beber e urinei na roupa”, lembra.

De acordo com o boletim de ocorrência, antes de ser dopado, elas pediram R$ 20 para o combustível. O dinheiro teria sido usado para comprar a lata de refrigerante.

“Caí duas vezes de cabeça no chão. Fiquei dois dias e duas noites sozinho. Vi um carro e pedi socorro. Me levaram para um bar e me deram água, salgado e chamaram o Samu.”

‘Coração parecia que ia explodir’

Já Florindo Simões, de 72 anos, afirma que foi abordado em Itapetininga na manhã do dia 28 de maio em uma feira. Na ocasião, a mulher pediu para que o idoso pagasse um pastel.

Em seguida, a golpista ofereceu uma carona para Alambari e no meio do caminho também lhe deu um refrigerante com medicamentos.

“Tomei e depois de 10 minutos o coração parecia que ia explodir. Depois, eu apaguei e me jogaram do carro. Uma pessoa me viu e me socorreu. Só acordei no hospital.”

As duas mulheres, que são sobrinha e tia, são suspeitas de aplicarem golpes em ao menos três vítimas em Angatuba (SP), uma em Sarapuí (SP), uma em Alambari (SP), uma em Cesário Lange (SP), uma em Avaré (SP), duas em São Miguel Arcanjo (SP), uma em Campina do Monte Alegre e nove em Itapetininga (SP).

Dos casos que as vítimas registraram boletim de ocorrência, 12 foram durante a pandemia. Contudo, há registros de crimes desde setembro de 2019.

Flagrantes em vídeo

Confira o vídeo em: http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/videos/v/novos-videos-mostram-mulheres-presas-por-dopar-e-roubar-vitimas-com-idosos-em-agencias/8918734/

Dois videos que o G1 teve acesso registraram as ações das suspeitas. Em um deles, um homem com dificuldade para andar foi levado de um caixa para outro. O crime ocorreu enquanto outras pessoas utilizavam o serviço e não perceberam.

Em outra situação, flagrada à noite, uma delas entrou no prédio. Em seguida, o idoso e a outra mulher entraram. Eles ficaram na agência por cerca de 40 minutos.

Os vídeos ajudaram a polícia a montar o quebra-cabeça da série de crimes em cidades da região e o modo que tia e sobrinha agiam.

Abordagem

Segundo a polícia, a dupla abordava idosos em locais públicos e oferecia caronas ou se passavam de enfermeiras.

Uma delas contou à investigação que oferecia serviço sexual. No entanto, as vítimas ouvidas na delegacia negam.

Idoso morto

Um vídeo registrou a última vez que Erineu da Rosa, de 78 anos, foi visto com vida em Cesário Lange (SP). O idoso despareceu no dia 29 de julho, por volta das 14h. Duas mulheres, de 24 e 44 anos,

O boletim de ocorrência de desaparecimento foi feito no dia 30 de julho, quando ele não retornou para casa. Na ocasião, a vítima saiu de casa dizendo que iria buscar um carro na oficina, mas não chegou ao local. O filho afirmou à polícia que era a primeira vez que o idoso não tinha retornado.

Confira o vídeo em: http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/videos/v/video-mostra-idoso-entrando-em-carro-de-mulheres-presas-por-dopar-e-roubar-vitimas/8915159/

O vídeo, a qual o G1 obteve na terça-feira (6), mostrou quando as mulheres pararam o carro e Erineu entrou. Testemunhas contaram à investigação que ele andava na rua quando as duas o abordaram. Antes do idoso, um homem revelou que também havia sido chamado por elas.

Policiais chegaram até tia e sobrinha ao analisarem as imagens de câmeras de monitoramento e terem acesso a registros de ligações, que apontaram que elas estiveram na cidade.

Segundo a Polícia Civil, após a prisão, as suspeitas indicaram onde deixaram a vítima. O idoso foi achado na plantação em estado de decomposição.

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) indicou que Erineu morreu por traumatismo craniano. A Polícia Civil aguarda também o laudo toxicológico, que irá apontar as substâncias no corpo dele. Conforme o filho, a vítima havia saído de casa com cerca de R$ 1 mil.

Alvos idosos

As mulheres passaram a oferecer refrigerante com remédios, dopavam as vítimas e aproveitavam para pegar os valores. Alguns idosos relataram terem sido agredidos e deixados no mato por dias.

Ao serem detidas, em Itapetininga, elas confessaram que estavam a caminho de outra cidade fazer mais vítimas. A polícia acredita que os golpes registrados na delegacia podem ter chegado a R$ 100.

A Justiça determinou a prisão preventiva por latrocínio, quando há roubo seguido de morte, e foram encaminhadas para uma unidade prisional da região. Também foram aprendidos dois veículos usados nos crimes, celulares e medicações.

Prisão de fornecedor

Um técnico de enfermagem do Hospital Regional de Sorocaba (SP) foi preso no dia 9 de setembro, na operação “Melhor Idade”, por suspeita de vender medicamentos controlados para as duas.

Conforme a investigação, o funcionário do hospital, de 37 anos, foi detido na casa dele, na Vila Piedade, em Itapetininga (SP), durante cumprimento de mandado de busca.

Na casa dele foi apreendida grande quantidade de medicação “tarja preta” como morfina, Clonazepan, Diazepam, Lorazapan, Tramadol e diversas marcas de antibiótico.

De acordo com a DIG, as medicações não possuíam nota fiscal ou qualquer anotação que indique a procedência. Os remédios foram apreendidos. O suspeito foi liberado na audiência de custódia e o caso continua sob investigação.

Fonte: G1/Itapetininga e Região

Imagem: Florindo (à esq.) e Darci (à dir.) foram vítimas das mulheres na região de Itapetininga — Reprodução/TV TEM

 

Acompanhe a REDE nas redes sociais:

Facebook – Conselhos de Pessoas Idosas (Clique aqui)

Instagram – @conselhospessoasidosas (Clique aqui)

YouTube – Bem depois dos 60 (Clique aqui)