Como salvar o maior número possível de vidas em plena pandemia?

De táxis com desconto a máscaras gratuitas, medidas tomadas em Tübingen, no sul da Alemanha, viraram modelo para outras cidades. Qualquer pessoa que visite o lar de idosos Pauline Krone, na cidade universitária de Tübingen, no sudoeste da Alemanha, é saudada por uma enorme placa na entrada: “Visitando seus entes queridos? Mas com segurança!”. Ao lado, uma garrafa de desinfetante e uma lista que os visitantes têm que assinar. Quase cem pessoas idosas passam seus últimos anos neste lar. Todas elas pertencem ao grupo de alto risco.

Desde o final de outubro, há mais uma medida de higiene a ser obedecida: quem quiser, pode fazer um teste gratuito de covid-19. “No início, faz um pouco de cócegas”, avisa a atendente antes de esfregar o cotonete na narina, “mas o final não é totalmente agradável”. Um quarto de hora depois, o resultado já está disponível, e a visita é livre de riscos. A cada dia, de 30 a 40 pessoas aproveitam a oportunidade. E a tendência é crescente.

“Felizmente, até agora não tivemos um único caso de covid-19”, diz Holger Beidel, chefe do serviço de enfermagem. Os testes criam segurança e garantem a continuidade das visitas, apesar de o número de infecções na região estar aumentando acentuadamente há vários meses.

“É claro que isto é muito positivo para manter os contatos sociais dos idosos”, diz Beidel. Durante o primeiro lockdown na Alemanha, foi diferente, acrescenta. “Concluímos que muitos residentes sofreram psicologicamente com a falta de contato”.

Horários para compras e táxi barato

Não apenas nos lares de idosos, mas também em toda Tübingen, as pessoas idosas recebem proteção especial. Entre as medidas, estão horários especiais de compras para ajudar a evitar contatos, assim como táxis mais baratos e máscaras gratuitas para o grupo de risco. A ideia foi do prefeito Boris Palmer. “Como matemático, eu só olhava para os números”, disse em entrevista à DW.

“Já estava claro em abril: o risco de morrer é maior para pessoas com mais de 70 anos − por isso temos que protegê-las mais intensamente.” Desta forma, foi evitada uma sobrecarga nas unidades de terapia intensiva. A cidade já gastou meio milhão de euros com as medidas.

E parece funcionar. Nas últimas semanas, as taxas de infecção entre os idosos da cidade têm sido comparativamente baixas. E, na busca por formas de reduzir o número crescente de mortes, muitas outras cidades usam Tübingen como exemplo. O prefeito está satisfeito, depois de ter sido criticado no início da pandemia por uma declaração que muitos tomaram como hostil aos idosos.

Durante a primeira onda de covid-19, o político verde havia defendido o isolamento total dos moradores em lares de idosos por três meses, enquanto os jovens poderiam voltar ao trabalho. Ao sugerir isso, ele esperava criar imunidade de rebanho entre os mais jovens e assim permitir aos mais velhos, aos poucos, o retorno à vida pública. “Na época, eu formulei de forma tola o eu queria fazer e recebi ameaças de morte por isso”, lembra. “[Hoje] é bom obter algum reconhecimento pelo que se fez certo.”

População aprova as medidas

Os cidadãos de Tübingen elogiam as medidas. “Agora eu uso esta máscara que recebi do prefeito pelo correio. Ela está sempre no meu carro para eu não esquecer”, diz uma idosa. É um belo presente para dar a pessoas mais velhas como ela, diz. No início de novembro, a cidade havia enviado máscaras respiratórias FFP2 pelo correio a todos os moradores com mais de 65 anos de idade. E a cidade apelou aos mais jovens para que parassem de fazer compras entre 9h30 e 11h. Este período deveria ser deixado para os grupos de risco da covid-19.

Um senhor idoso veio ao mercado com o táxi com desconto. “Acho muito bom, sempre o uso quando tenho que ir a algum lugar”, elogia. É claro que todos têm que assumir sua responsabilidade, diz uma mulher. “No entanto, acho que as medidas tomadas por Tübingen são simplesmente boas.”

Mas elas não oferecem 100% de proteção. Em um surto num hospital, alguns idosos foram infectados. E ao menos um deles teria sido transferido de volta para um lar de idosos. Mas o prefeito espera que, graças aos muitos testes, o pior possa ser evitado. “Sem esta medida, certamente teríamos notado as infecções muito mais tarde”, admite.

Uma coisa é clara: com o número crescente de infecções em toda a Alemanha, o risco de contaminação está aumentando, inclusive em Tübingen. A fim de tornar o Natal o mais seguro possível, a cidade já apresentou uma estratégia para as festas: um centro de testagem será instalado na praça central em tempo hábil antes das festividades. Lá, qualquer pessoa pode fazer o teste para saber se está contaminada com o vírus Sars-Cov-2.

 

Texto e imagem: terra.com.br